Sob o termo deficiência refere-se à condição pessoal daqueles que, como resultado de deficiências acidentais, mais ou menos graves, que afectam o corpo, a mente e os sentidos, diferem significativamente do conceito de normalidade.

Por conseguinte, a pessoa em questão tem um capacidade reduzida de interagir com o ambiente social e resultados menos autónomo na realização de actividades físicas diárias.

Ao longo dos anos, o conceito de deficiência também tem evoluído.
Durante muito tempo em Itália, a deficiência foi entendida de acordo com duas definições :

  • Definição pelo médicodeficiência como sinónimo de anomalias fisiológicas e psicológicas que requerem tratamento médico.
  • Definição SocialA deficiência refere-se às desvantagens causadas pelo ambiente físico e social que limitam o bem-estar das pessoas com deficiência.

De acordo com a visão doOrganização Mundial de Saúde (OMS) nenhuma das definições é suficiente, mas devem ser integradas umas com as outras.
Com isto, é importante salientar que a necessidade da pessoa com uma deficiência é, acima de tudo, encontrar um contexto ambiental adequado para mitigar a sua deficiência.

Nas disposições italianas, porém, a deficiência está ancorada em dois artigos da Constituição italiana:

O artigo 3º da Constituição, afirma que "todos os cidadãos têm igual dignidade social e são iguais perante a lei, sem distinção, e que "é dever da República remover obstáculos de natureza económica e social, que, ao limitar a liberdade e igualdade dos cidadãos, impedem a participação efectiva de todos os trabalhadores na organização política, económica e social do país". O mesmo artigo proíbe a distinção "de sexo, raça, língua, religião, opinião política, condições pessoais e sociais". Este último afirma firmemente os direitos civis de todos e, portanto, também das pessoas com deficiência.

Artigo 38 da Constituição, que prevê que "todo o cidadão incapaz de trabalhar e sem os meios necessários para viver tem direito à manutenção e à assistência social". A assistência quase-compensatória, portanto, uma vez provada a miséria e a incapacidade, é justo que as pessoas com deficiência disponham dos meios certos para viver, escolher e participar, como outros.

 

Saiba mais lendo também o 'Guia da Mobilidade' sobre o direito à mobilidade das pessoas com deficiência >
pt_PTPortuguês